Sábado, 21 de Maio de 2022
28°

Tempo aberto

Campo Verde - MT

Câmara dos Deputados Câmara dos Deputados

Comissão debate más condições de trabalho em polo gesseiro de Pernambuco

Billy Boss/Câmara dos Deputados Gadelha: receitas geradas pelo gesso não se refletem na melhoria de vida da população A Comissão de Trabalho, de ...

13/05/2022 às 11h55
Por: Redação Fonte: Agência Câmara de Notícias
Compartilhe:
Gadelha: receitas geradas pelo gesso não se refletem na melhoria de vida da população - (Foto: Billy Boss/Câmara dos Deputados)
Gadelha: receitas geradas pelo gesso não se refletem na melhoria de vida da população - (Foto: Billy Boss/Câmara dos Deputados)

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados realiza audiência pública na quinta-feira (19) sobre o desenvolvimento sustentável do polo gesseiro do Araripe, localizado na divisa dos estados de Pernambuco, Ceará e Piauí.

O debate será realizado às 10 horas, no plenário 12, e poderá ser acompanhado de forma virtual e interativa pelo e-Democracia.

O deputado Túlio Gadelha (Rede-PE), que propôs a realização da audiência, lembra que o Brasil é o 16º maior produtor mundial de gipsita (minério que dá origem ao gesso) e o segundo maior da América Latina. No Brasil, o mineral é encontrado predominantemente no estado de Pernambuco (97%), seguido por Maranhão (1,5%), Ceará (0,8%) e Tocantins (0,7%).

"O polo gesseiro do Araripe é responsável pela produção de 1,6 milhão de toneladas brutas de gipsita/ano. A quantidade de gipsita vendida, consumida ou transferida para industrialização em 2017 no polo foi de 699 mil toneladas, com um valor total de R$ 112,6 milhões", disse.

Pobreza e trabalho escravo
No entanto, disse Gadelha, a despeito da relevância econômica da produção de gesso na região – que produz 90% do gesso nacional –, as receitas geradas por essa produção não se refletem na melhoria das condições de vida da população local, que apresenta elevados níveis de pobreza e baixos Índices de Desenvolvimento Humano Municipal.

"Fiscalizações da Força Tarefa do Ministério Público do Trabalho (MPT), realizadas entre 2015 e 2019, identificaram diversas irregularidades de saúde e segurança no trabalho, assim como a presença de trabalho infantil e indícios de trabalho realizado em condições análogas à de escravo ao longo da cadeia produtiva", observou o deputado.

Debatedores
Foram convidados para a audiência:
- o procurador do Ministério Público do Trabalho, Rogério Wanderley;
- a coordenadora da área de Princípios e Direitos Fundamentais no Trabalho do Escritório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, Maria Cláudia Falcão;
- a presidente do Sindicato da Indústria do Gesso de Pernambuco, Ceissa Campos Costa;
- a juíza do Trabalho de Araripina (PE), Carla Janaina Moura Lacerda;
- A prefeita de Trindade (PE), Helbe da Silva Rodrigues Nascimento; e
- o vice-prefeito de Araripina, Evilásio Mateus da Silva Cardoso.

Veja aqui a relação completa de convidados e a confirmação dos nomes.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários